Imigração altera demografia alemã

10.02.17 AHK-Wirtschaftsnews

A entrada de milhares de novos imigrantes, muitos deles ainda em idades muito jovens, está a contribuir decisivamente para colmatar a crise demográfica que assola a Alemanha há já vários anos. O Governo Federal anunciou há poucos dias que a imigração “irá permitir que a redução da população ativa até 2030 seja muito menor do que inicialmente estimada”.

Segundo algumas estimativas, em 2050 haveria apenas cerca de 70 milhões de cidadãos na Alemanha, sendo o número de ativos e em condições de desenvolver uma atividade laboral ainda mais reduzido. Contudo, um relatório apresentado recentemente pelo Governo Federal afirma que a imigração deu um contributo para inverter esta tendência.

O Instituto da Economia Alemã, em Colónia, reporta que em 2015 chegaram 1,1 milhões de indivíduos à Alemanha e, em 2016, aproximadamente 750 mil, o que fez crescer a população até quase 83 milhões. Por seu lado, o Instituto Federal de Estatística constata que, em média, chegam anualmente 200 mil imigrantes, enquanto alguns investigadores declaram que este número está mais próximo dos 300 mil.

A maior problemática desta realidade será integração dos imigrantes no sistema de trabalho. A situação é distinta no que diz respeito aos emigrantes da União Europeia e aos refugiados, sendo que é mais difícil e mais demorado integrar estes últimos. A falta de população ativa, sobretudo com qualificação profissional adequada, é um problema sério que afeta a economia alemã.

 

Fonte: FAZ